Gaiola

Eu não sinto mais nada.
O gosto do café preto e amargo não incendeia mais minhas papilas gustativas.

Eu não tenho mais nada.
Mãos e pés não caminham calçadas frias nem tocam rostos turvos.

Eu não falo mais nada.
Da boca não verte sangue nem veneno.

Eu não sou mais nada.
Só um corpo inerte nesse laboratório escuro que é a vida.

Anúncios

Um pensamento sobre “Gaiola

Compartilhe a sua opinião :)

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s