Meu melhor sorriso falso

7ad5bbba5a6522c79b2b89e191f4a282

As pessoas, ao encarar seres independentes, pensam verem também, diante de si, seres imbatíveis. Ah! se soubessem do turbilhão de medos que eles têm de enfrentar todos os dias pra manter essa fachada: talvez se compadecessem e dessem o ombro às lágrimas ou, no mínimo, ao conforto. E registre, não se deixe enganar pelos dentes à mostra, eles são apenas as grades que mantém tudo isso do lado de dentro.

Nota

Marathon

As intensas luzes da cidade ofuscavam a visão já envelhecida e turva. Cegos, corriam; descendo a rua em busca de algo maior. Corriam por suas próprias e particulares razões. Não os julgue, não era algo egoísta, apenas respeitavam as escolhas individuais que os cabiam. Corriam sem olhar para o lado, numa competição contra os fantasmas que insistiam em lhes assombrar e assaltar a mente em noites como esta e não contra os semelhantes a correr. Tarde, a certa altura, diante de uma bifurcação na estrada, seguiram caminhos distintos, movidos por sonhos, vontades e, por que não, medos também diversos. Durante horas a vontade de falar percorreu a mente deles, mas ao olhar ao redor não havia ninguém com quem pudessem dialogar. Diante do cenário solitário, não se focavam nem mesmo no caminho que se mostrava adiante. Após alguma luta contra os pensamentos que insistiam em corroê-los, sentiram o silêncio reinar: o som dos passos tocando o asfalto eram audíveis, mas já não se faziam tão presentes, já compunham o cenário. Angustiados, sentiam dentro de si algo semelhante e incompartilhável: Não era fácil saberem estar sob as mesmas estrelas, sob o mesmo céu e não poderem se falar.