Font’Ana

“O coração dela eram um jardim secreto e seus muros eram muito altos”.

Ela é uma menina feita de flor, do tipo que atrai beija-flores, borboletas, abelhas e, infelizmente, de vez em quando, uns insetinhos sem-vergonha. E porque ela é uma menina feita de flor, não vê maldade ao seu redor. Mesmo em dias nublados e chuvosos consegue sorrir e sentir-se animada, pois a chuva renova e nutre, ajuda a florescer. Sendo uma menina flor ela chama atenção por onde passa, mas nem nota, pois apenas transmite o que tem, mas num mundo cada vez mais cinza, o pouco de cor que encontramos por aí já desperta a atenção. Mas não era fácil ser feita de flor, ao embelezar de forma inocente os espaços por aí, mais e mais vezes surgiam seres desalmados a podá-la, a impendido de crescer livremente. Aos poucos, os espinhos – antes quase inexistentes – ganharam tamanho e resistência. De repente, sem notar, já não saía mais. Escolheu um refúgio e por lá ficou. Poucos ousaram transpor os muros que agora a guardavam.

Anúncios