Resumão literário 2013

Depois de ver o excelente trabalho do Alê com as resenhas no O mundo por dentro do canudo resolvi encarar o desafio de fazer uma breve descrição sobre os livros que li este ano. Vamos ver se vou lembrar de todos 🙂

Stanislaw
Ponte Preta
Máximas inéditas da Tia Zulmira
Um livro de charges da antiga coleção do meu avô paterno. Foi o primeiro que li este ano e lembro de o livro conter algumas sacadas muito legais e outras meio politicamente incorretas. Este é um livro do Pasquim e vale por ter sido do meu avô (apesar de eu lembrar bem pouco do conteúdo). 3 estrelas.


Rick Riordan
A Batalha no Labirinto
Mais uma vez Percy Jackson se vê diante de escolhas importantes que deve fazer para ajudar deuses e semideuses em batalhas que levarão a uma guerra entre deuses e titãs. Além das opções ligadas ao mundo dos imortais, Percy ainda passa por situações comuns ao dia a dia dos adolescentes de Manhattan. Rick Riordian continua mostrando do que Percy é capaz! 4 estrelas.

Rick Riordan
O Último Olimpiano
Em O Último Olimpiano, Percy Jackson está diante de muitas provações, mais uma vez, mas desta vez contará com a ajuda dos semideuses do Acampamento Meio Sangue para ajudá-lo a vencer mais esta etapa. Riordan com certeza me conquistou com este mundo mitológico de Jackson e seus amigos. 5 estrelas.
Rick Riordan
Percy Jackson e os arquivos dos semideuses
Por aqui nós encontramos algumas novas histórias de Percy Jackson e os olimpianos, além de descrições dos personagens e cenários. É um arquivo importante para os semideuses. 3 estrelas.
Matthew Quick
O lado bom da vida

Já faz algum tempo que li este livro e o que posso dizer é que é MIL vezes melhor do que o filme. O filme não consegue contar com tantos detalhes os terrores mentais que transtornam Pat, ou todas as relações construídas ao seu redor. A preocupação de sua mãe, a distância do pai, o cuidado do irmão, as ajudas oferecidas pelo melhor amigo, a amizade com um colega de hospital psiquiátrico e a relação maluca entre um homem e uma mulher passando por situações difíceis. Acredito que o livro nos ensina a encontrar uma a perspectiva positiva sobre as situações que nos cercam. Às vezes o mais absurdo pode ser o melhor. 5 estrelas.

Chris Cleave
Pequena Abelha
A leitura não é complicada, bem tranquila na verdade, li em quatro dias e fiquei torcendo para que a história não terminasse. Esse é um daqueles livros que você lê envolvido e quando termina se sente órfão. Qualquer coisa que eu escreva aqui pode estragar a magia dessa leitura, então, só posso dizer para que leiam. 5 estrelas e favoritado.
William Joyce
Os fantásticos livros voadores de Modesto Máximo
Livro lindo, fácil de ler, gostoso e de um significado super importante sobre a leitura e a literatura em nossas vidas. O livro ganhou um curta igualmente encantador. É o tipo de livro que a gente tem na coleção para guardar como relíquia, dessas que você mostra para os outros para encantar e transformar. 5 estrelas.
Rick Riordan
Percy Jackson e os olimpianos: Guia definitivo
Nesta edição encontramos basicamente um glossário do mundo mitológico e de fantasia que encaramos nos cinco livros da saga de Percy Jackson e os Olimpianos. Você descobre se pode ser um meio-sangue, o que é o labirinto, conhece os deuses menores e as bestas, e muito mais desse universo incrível. 4 estrelas.
Elizabeth Eulberg
Lonely Heart Club
Elizabeth Eulberg conseguiu colocar em um livro delicioso o que muitas vezes nós fazemos ou deixamos de fazer por conta de outra pessoa, no caso: homens. O livro é gostoso de ler, fácil e é todos trabalhado com músicas dos Beatles, e retrata porque é importante manter a amizade e que todos podemos fazer a nossa própria revolução. 3 estrelas.
Leslie T Chang
As garotas da fábrica
Leslie Chang descreve o cenário migratório das mulheres na China. Acredito que este seja um excelente estudo etnográfico sobre o maior processo migratório humano do mundo: pessoas que saem dos campos para trabalharem nas fábricas. E este não é um livro romanceado e nem ficcional, Chang trabalha com relatos de jovens chinesas que saíram do campo em busca de melhores condições de vida ou que simplesmente resolveram seguir seus sonhos. Muitas dessas moças são responsáveis por sustentar toda a família no campo, mesmo não sendo valorizadas por isso e, geralmente, muito cobradas para que se casem com alguém de suas antigas províncias. Esse livro para mim foi um achado. Comprei-o numa promoção por R$ 4,90 e ficou algum tempo na minha prateleira, mas quando o peguei para ler, não queria parar. Vale a pena. 5 estrelas e favoritado.
Jane Austen
Orgulho e Preconceito
Em Orgulho e Preconceito, Jane Austen nos conta a história da família Bennet – sr. e sra. Bennet, Jane (a mais velha), Elizabeth (a segunda), Mary (3ª), Kitty (4ª) e Lydia (a caçula) – onde aborda os muitos assuntos vividos no âmbito familiar e a busca por matrimônios sólidos e vantajosos, em uma época que a mulher só conseguia alguma ascensão social por meio do casamento. Em meio ao cenário da época, Austen constrói o enredo baseado em dois sentimentos que podem se tornar grandes vilões quando o assunto é relacionamento humano. Assim como o livro, recomendo os filmes e série sobre a história. 5 estrelas e favoritado.
Caio F Abreu
Morangos Mofados
Foi uma leitura estranha. Conheci o Caio Fernando Abreu por meio de inúmeras citações na internet e quis conhecer um pouco mais sobre o seu trabalho. Ao encontrar as citações em contextos bem diferentes não nego que fiquei um pouco frustrada. Ainda assim o livro é bom e o Caio escrevia muito bem. 3 estrelas.
L Frank Baum 
O mágico de Oz
Depois de assistir ao filme de 1939 fiquei louca para conhecer a história. Li o livro e me encantei, é cheio de cor e anormalidades, que tornam a terra de Oz um lugar realmente mágico, mas também assustador para se viver. Acredito que a história ajude também a compreender melhor o filme Oz: Mágico e Poderoso. Vale a leitura com certeza. 4 estrelas.
Alberto Villas
Admirável Mundo Velho
Este é um daqueles achados. Comprei certa vez para o meu avô paterno, e quando ele faleceu, li e dei de presente para o meu avô materno. O livro todo é construído com histórias baseadas em antigas expressões brasileiras. Vale pelas histórias engraçadas e pela construção baseada em algo culturalmente nosso. 4 estrelas.
Jane Austen
Razão e sentimento
Mais uma história da querida Jane Austen. Desta vez o universo gira em torno de duas irmãs, com atitudes bem diferentes uma da outra e que se veem diante do amor. Como o próprio título aponta, uma é extremamente racional e a outra sentimental. Apesar disso, uma aprendeu com a outra que é preciso um equilíbrio. (Aqui eu sugiro que vocês, depois de lerem, assistam a série da BBC, o filme não me agradou tanto). 5 estrelas e favoritado.

Cressilda Cowell
Como treinar o seu Viking
Esta é a vez de Banguela, o Dragão, dar a sua versão dos fatos. Uma história leve sobre como Soluço e Perna-de Peixe, vikings Hooligans, não muito apreciados por seu professor, Bocão Bonarroto, conseguem provar que a comunicação é muito melhor do que um xingão. O livro é um bom jeito de conquistar os mais novos, mas, visualmente, eu o acho bastante poluídos. 3 estrelas.
Stephen Chbosky
As vantagens de ser invisível
Impossível não se encantar com esta história. As cartas de Charlie nos emocionam, surpreendem e também criam um cenário tão incrível em nossa cabeça. O filme jamais transmitirá as sensações que o livro proporciona, apesar de eu também gostar do filme. 4 estrelas.

James Dashner
13ª Realidade: O diário das cartas curiosas
Este livro eu ganhei de aniversário do meu irmão mais novo. Ele disse que lembrou de mim por conta do lance das cartas. Achei fofo. Neste livro conhecemos um garoto que sofre por ser diferente na escola, mas que em um determinado momento recebe uma carta misteriosa e vê sua vida transformada por novos desafios. 4 estrelas.

F. Scott Fitzgerald
O curioso caso de Benjamin Button
Fantástico, faz tempo que eu não lia nada em quadrinhos, mas esta história ficou demais. Comprei este ano em um sebo, li em uma sentada e dei de presente para o meu irmão. Vale muito a pena! 4 estrelas.
Martha Medeiros
Noite em claro
Em “Noite em claro”, Martha Medeiros narra uma noite chuvosa de insônia e vinho. Relembrando fatos do passado, onde descreve cenas marcantes e também a construção dessa história. Curto, rápido e interessante. 3 estrelas.
Megan Mcdonald
Judy Moody salva o mundo
Conheci a Judy Moody quando estive em Palmas. Foi a dona Mírian que me apresentou. É uma história bonitinha de uma menina bem esperta que quer ajudar a salvar o mundo, no caso, por meio da reciclagem. É um bom livro para uma criança começar a gostar de ler. 3 estrelas.
Anaïs Nin
A fugitiva
O que falar dessa leitura, bem, começando pela capa já dá pra dizer que é um livro de conteúdo adulto, escrito por uma mulher. São três contos O basco e Bijou, Manuel e A fugitiva que retratam cenas eróticas, por vezes assustadoras, mas foi interessante de ler. 3 estrelas.
Jane Austen
Persuasão
Este com certeza foi o ano de Jane Austen, em Persuasão estamos diante de Anne Eliot, uma moça gentil e querida, que foi persuadida a esquecer um grande amor. Tarefa difícil que vem assombrá-la depois de alguns bons anos. Frente a frente ao amor de sua vida, Anne precisa tomar importantes decisões que definirão o seu caminho. E, mais uma vez, com maestria, Austen consegue nos fazer apaixonados pela heroína. 5 estrelas.
Jane Austen
A abadia de Northanger
Em A abadia de Northanger, Austen apresenta um estilo bastante diferente de escrita, mas nem por isso menos merecedor de atenção. Nesta história encontramos um ambiente gótico e também bastante voltado à leitura e a literatura. É o livro mais curto da escritora e o mais divertido também. 5 estrelas.



.
Anúncios

Sobre as influências da casa de minha infância

Voltar àquela casa era como reviver centenas de vezes as cenas do passado em minha cabeça confusa e danificada. Quantas dessas lembranças de fato são histórias que vivi e quais são apenas ilusão? Não sei mais diferenciá-las. Há tanto tempo que surgem em minha mente que já não importa mais, tudo é real e falso, e assim parece mais fácil de lidar.
A facilidade deve-se ao fato de não me ater ao fato de ser ou não real, o que importa é o que elas me inspiram a fazer, a ser ou pensar. 
Às vezes algumas histórias surgem em meus pensamentos para me fazer agir de forma diferente. Essa tem sido a grande lição que venho tirando desta casa de minha infância. 
Deste cenário construído pelo tempo, pela memória e pelas pessoas com as quais convivo desde aquela época tiro as mais belas, difíceis, complexas ou simples histórias para continuar seguindo em frente, transformando tudo o que vi e vivi em um livro da minha vida com o único propósito de continuar crescendo, amadurecendo e aprendendo. Que esta casa nunca me deixe e sempre me possibilite a oportunidade de ser alguém melhor e que eu possa dessa forma tocar o próximo também.
.

Como poderíamos comemorar o final do ano

Há alguns meses descobri que existe uma data comemorada em Bali que é simplesmente fantástica. Chama-se Nyepi, em balinês, Dia do Silêncio e acredito que não seja coincidência o fato de ser comemorada no mesmo dia do ano novo indonésio. Este é um feriado público na Indonésia, onde as pessoas desfrutam do silêncio, em jejum e por meio de muita meditação.
O Nyepi é a oportunidade de as pessoas dedicarem um tempo saudável a autorreflexão, e qualquer coisa que possa afetar este estado de internalização é proibido. Uma das restrições é quanto aos fogos de artifício e também quanto as luzes, que devem ser mantidas em menor intensidade.
Sei que algo assim por aqui é difícil, mas, mesmo sem o silêncio encontrado em Bali, podemos pensar em encontrar o silêncio dentro de nós. Quem sabe assim encontremos algo mais, encontremos nós mesmo. Assim seja.

Ressaca

Em um momento você está ali, em um longo trapiche, olhando para o horizonte, observando algumas nuvens se aproximarem. Em outro, você continua encarando o horizonte, agora molhado, sem saber qual onda levou-o àquele estado. 
A onda já não importa. Ela passou e não volta mais. 
O mar que te tocar daqui em diante será outro. 
Você também. 
O tempo não muda, é sempre o mesmo a tiquetaquear por aí, mas a percepção que temos dele e nós, principalmente nós, mudamos.
Nossa capacidade de transformação é enorme e talvez sejamos igual àquela onda que nos encharcou. Começamos na calmaria, reunimos forças e desaguamos na praia, às vezes de forma mansa, em outras feito ressaca. E, de algum modo, retornamos modificados ao oceano para mais alguns momentos de sossego.
Que saibamos passar por tormentas e calmarias, que saibamos regressar ao ponto de repouso sem angústias, mágoas, ressentimentos ou qualquer sentimento negativo. Que voltemos ao oceano limpos, de cabeça pronta para uma nova onda de transformação.
.

Emoldurando

O retrato da minha janela é um telhado. Um telhado velho, mas que eu sei que é forte o suficiente para proteger a família vizinha. Ao levantar o que eu vejo primeiro é o telhado. Se fosse poeta diria que da minha janela eu vejo um mundo de novas possibilidades e sonhos, que atravessam o pouco do que eu vejo do céu e alcançam os meus olhos de poeta. Se fosse romancista diria que da minha janela eu enxergo um cenário cheio de intrigas e conflitos, mas que lá no finzinho tudo se conserta… ou não. Se fosse cronista veria, a cada dia, situações e relações que renderiam ótimas histórias sobre o tempo, as pessoas, o clima, tudo saltaria aos olhos na possibilidade de virar uma crônica, quem sabe até o canto dos passarinhos. Mas tem dias que eu só enxergo o telhado velho e empoeirado, com sorte um pouquinho do céu. Em outros dias eu vejo a lua, o sol, as estrelas, raios e trovões. Quando vejo apenas o telhado o mundo é estranho e eu não sou quem eu gostaria de ser. Quando eu enxergo todo o resto, eu sou quem eu devo ser, uma sonhadora.
.

Observação: depois de quatro anos mofando nos rascunhos, consegui terminar esses rabiscos dedicados à vista que tenho do meu quarto.