Remember to smile

.

.

Último dia do ano, finalmente. E eu estou aqui sem saber o que dizer para vocês, leitores queridos. São sempre tão clichês as mensagens de final de ano. Claro eu quero desejar a todos muita saúde, amor,  paz, sucesso e felicidade, mas também acredito que não adianta nada desejar tudo isso se nos mantivermos  presos a pensamentos antigos. Então, desejo a vocês também atitude, motivação, ambição, determinação, persistência, harmonia, paciência e compaixão em 2013. Que vocês consigam conquistar seus sonhos e que todo o conhecimento que adquirirem vocês possam transformar em sabedoria para levar uma vida mais leve. Que o próximo ano seja de fato um ano novo, que você perdoe as pessoas que te magoaram e perdoe a si mesmo por coisas que não conquistou ou pessoas que magoou. Que o primeiro segundo do ano que começa seja uma página em branco de um livro novo que você começa a escrever neste exato instante. Só traga para o ano novo boas coisas que realizou e pessoas incríveis que conheceu. Comece mesmo um ano novo.
.
Anúncios

Um e meio pra você

.

.
(Pare de ficar me encarando. Eu só preciso escrever algumas linhas e estarei livre, então, por favor, me dê um tempo pra pensar, são só algumas linhas. Não, não ajuda nada esse olhar de “não tenho o dia todo” ou “a bateria logo vai acabar e eu vou hibernar e daí é você quem terá que esperar”, “a sua ansiedade não vai te deixar tranquila até que você escreva alguma coisa”, “e aí, não vai escrever?”. Eu já vou, já vou, só estou pensando. O que eu escrevo? São só algumas linhas.)

Oi 🙂

(e-mail enviado)
.

Expropriação

.

Fonte: http://www.100abandonedhouses.com/

.
Não restava muita coisa. Com o tempo foi se desgastando, perdendo a cor e a robustez. Perdeu o encanto. Perdeu o charme que faziam muitos pararem e admirarem. Em algum tempo, muitas coisas foram quebradas, partidas ou escondidas por outras que nasceram e tomaram conta do espaço. A estrutura já não era mais a mesma, mantinha-se em pé porque as bases eram sólidas, mas de resto, parecia que tudo havia sido contaminado, dominado por algo que não fazia parte daquele contexto. Nessas horas só resta uma coisa: mudança. Não há recuperação que a faça voltar ao que era antes, mas é possível que chegue perto do que era ou até que vá além. Para isso é preciso destruir peça por peça e construir algo novo e manter apenas aquilo que é possível, aquilo que não foi atacado. Por dentro algumas relíquias permanecem intactas a espera de alguém que as encontre. Por fora a fachada clama “cuide de mim”.
.

Retrospectiva 2012

.

.
Atravessamos mais um ano, e esse, particularmente, foi um ano bem comprido, nem acredito em tudo que aconteceu. Se estiver cansado ou sem tempo para ler não se preocupe, eu sei o quanto me enrolo em algumas histórias, então sinta-se a vontade para voltar a ler no próximo post.

Comecei o ano bem, virada do ano com os amigos do meu irmão aqui em casa e minha prima. Dia primeiro almoçamos fora e saímos de Curitiba rumo a Ponta Grossa e ao Recanto dos Papagaios (minha primeira viagem de carro com o meu irmão, sem nossos pais). Janeiro foi um mês tranquilo, não tenho grandes recordações, exceto pela tarde de guia turística com o Ian e o Murilo, visitamos alguns pontos legais em Curitiba.
Fevereiro, o mês do carnaval e do meu aniversário, tinha tudo para ser um mês maravilhoso. Formatura do Ian e do Murilo lá na Federal, colação linda, com direito a discurso dos dois. Festa no restaurante do Barigui, com direito a muita dança com o Tarcísio. Sem tempo para descanso, saímos da festa direto pra viagem que fiz com a madrinha, prima e o namorado dela para Balneário Camboriú. Passamos o carnaval por lá, levantei todos os dias cedo, caminhei muito na praia, visitamos Penha, Bombas, Bombinhas e Mariscal (onde dei o mergulho mais gelado da minha vida). Dias ótimos, viagem tranquila. Em Curitiba para a quarta-feira de cinzas (também meu aniversário), o Ian e minha mãe aprontaram uma festa surpresa (a primeira da minha vida), foi lindo, fiquei tão feliz, não parava de sorrir. Sete dias depois de toda essa alegria meu padrinho (irmão do meu pai) faleceu devido a uma septicemia provocada por uma ostra (sim, uma ostra! Ele se cortou tentando abri-la, e o líquido da ostra entrou na corrente sanguínea causando a infecção).
Tempos difíceis, o mais difícil foi contar para a minha avó, pois ela não sabia nem que ele estava no hospital, todos tínhamos esperanças. Começou uma nova jornada para cuidar da minha avó agora sem o apoio do padrinho. Minha mãe e minha avó fizeram as pazes (elas não se falavam há anos). Minha mãe aprendeu em uma semana tudo o que já fazíamos há seis anos (tenho muito orgulho dela). Participei de duas gravações, uma para a APACN, como figurante, e outra para o curta Os Ladrões de Coração, interpretando o papel da minha mãe no passado. Foi divertido.
Em maio a turma da faculdade se preparou para a formatura, que foi adiada por 2 meses devido a greve, sendo a defesa do TCC adiada por 5 meses. As fotos foram feitas em maio, momento descontraído do ano acadêmico.
Em Julho fiz minha primeira viagem de carro com os amigos. Vitor e Ian me acompanharam por mais de 600 km (ida e volta) para visitarmos o Tarcísio em Floripa. Por lá ele nos levou por um tour pela cidade (almoço no shopping, tarde nas dunas da Joaquina, lagoa da Conceição, restaurante perto de casa, almoço em casa, conversas e muitos atalhos que não eram bem bons atalhos). Foi um desafio muito bom.
Agosto foi marcado pelo aumento dos problemas de saúde da minha avó, mais cuidados em casa, dieta diferenciada, médicos. Período que me deixava cada vez mais indignada com o sistema de saúde e principalmente pela falta de acessibilidade na maioria das clínicas e hospitais.
Setembro chegou com a notícia do falecimento da avó da minha amiga mais antiga, 16 anos que nos conhecemos. Também a internação da vó, e seu falecimento semanas depois.
Outubro, veio para ser o mês de finalização acadêmica. Um mês de preparo para a defesa do TCC. No último dia do mês, a Thainá, Anne e eu defendemos nosso trabalho aprovado pela banca. Melhor momento acadêmico.
Novembro é mês de festa, aniversário do Ian, aniversário do meu irmão, foi um mês tranquilo. Meu irmão fez a primeira viagem de carro com os amigos para a praia, e eu tirei um dia para levar o Ian, o Murilo e a Thelma para um passeio em Morretes. Passamos o dia por lá e foi maravilhoso, todos imaginando como seria poder morar por lá.
Ufa, finalmente Dezembro! Dia 5 colei grau na UTFPR, cerimônia linda, todos emocionados e felizes, um momento para lembrar e agradecer (e por que não pagar mico). Mês de encerramento, mas mês de aprendizado também, de briga, de entendimento, de crescimento. No fim, tudo o que eu vejo olhando para trás é o quanto eu cresci com tudo o que aconteceu este ano. Dá pra acreditar no tanto de coisa que ainda falta nessa lista? 2012 foi um ano grande mesmo.
.

She’s a mystery

.

.
Apesar de estar a todo momento falando da sua vida, ela ainda consegue ser um mistério. Como ela consegue ser tão transparente e ainda assim ter uma névoa encobrindo as coisas que mais queremos saber sobre ela? É alguma coisa no olhar dela que às vezes parece ser tão contraditório, é também o sorriso oferecido mesmo quando tudo parece arruinar-se dentro de si. Ela é daqueles mistérios que fazem você desejar ter tido aulas de investigação e ao mesmo tempo não querer descobrir nada, só para poder continuar contemplando o mistério e os segredos que podem haver por de trás daqueles olhos mágicos.
.

Top 5 – 2012

.

.
Quem acompanha o meu blogue há algum tempo sabe que eu não costumo gostar de finais de anos. Acredito que o encantamento que existia quando eu era menor se esgotou (se isso é possível). Algumas coisas ainda fazem parte de uma tradição (almoçar fora no dia de natal, assistir Esqueceram de Mim na TV, passar a noite de ano novo em cima do telhado da garagem assistindo os fogos), mas não passa disso, o lado familiar das festas de final de ano ficou concentrado no almoço de natal, apenas. E não sei, talvez isso faça parte do processo de crescer. Esse ano ainda não identifiquei nada que me fizesse estar mal (espero que continue assim). Devido a essa tradição tão sucinta decidi começar uma nova: o top 5 das publicações do blog, os textos mais lidos este ano serão lembrados aqui. Se você, car@ leit@r, quiser contribuir e indicar algum texto que tenha marcado mais esse ano, sinta-se a vontade.

Vamos ao TOP 5:

1º A mais bela – 14 de outubro
2º Sem sinal – 21 de abril
3º Mensagem de aniversário – 23 de fevereiro (escrito por Magdalena Odovane de Oliveira, minha avó).
4º Dia do Escritor – 25 de julho
5º “Longas amizades continuam a crescer, mesmo a longas distâncias” – 19 de junho

E então, o que acharam do TOP 5?
.