Dia do Blog

.

.

Assim como temos o dia do escritor, o dia da árvore, o dia do índio, também temos o Dia do Blog, e é hoje. Dia de comemorar um dos lugares públicos que mais gostamos de visitar, gastar tempo, ler, comentar ou apenas admirar sem necessariamente sair de casa. Hoje eu quero parabenizar todos os meus blogs preferidos: Eu nasci em 87Autor sem sobrenomeO mundo por dentro do canudo, .laurel., Pensamento Provisóriomarceldanilo, un important, Nas Sombras de Balthamos, Todo dia ímpar e também os diversos Tumblr’s que eu sigo, desde os só de imagens até os recheados de palavras. Gosto desses blogs porque me sinto um pouco perto de seus autores. Alguns eu não conheço pessoalmente, outros tive a oportunidade de conhecer esse ano, outros já fazem parte da minha vida há algum tempo. E cada vez que leio seus blogs me sinto fazendo parte da vida deles e eles da minha, e cada texto, e cada imagem me ensinam algo novo a cada postagem. Parabéns blogueiros, parabéns aos seus blogs que hoje comemoram uma data própria. 
E pensar que escrevo em blogs há 11 anos, estou ficando velha… haha
.
Anúncios

Silêncio

.

.

Estou cheia de coisas pra fazer, mas minha falta de concentração não está me deixando. Resolvi tomar um banho pra ver se as ideias voltam ao lugar, e principalmente a concentração. Enquanto no banho me pus a pensar no silêncio. Engraçado que o nome deste blog é Tudo é silêncio, no entanto, eu não tenho sabido empregá-lo bem. Não sei permanecer em silêncio. Por mais que minha boca não se mexa, meus pensamentos não param por um só momento. Durante a aula de yoga, quando a instrutora diz: “se qualquer pensamento vier a mente, deixe-o ir” e eu penso “pensamentos, ouviram ela, vão embora”, mas eles ainda não vão. Então minha cabeça continua trabalhando, mesmo quando quero um pouco de silêncio aqui dentro. E mais uma vez me esforço e penso: “silêncio”, mentalizando-o várias vezes para ver se ele vem ao meu encontro. Mas logo vem alguma coisa e me tira desse estado de quietude. É o telefone que toca com a vó pedindo para esquentar a bolsa de água quente ou uma xícara de café, é o celular com mensagem da operadora, é o carro barulhento na rua, é a tv do quarto dos meus pais ligada, tudo isso e mais um pouco que me distrai e me tira a concentração. Mas aos poucos estou aprendendo e logo logo vocês saberão que meu silêncio será, de fato, controlado por mim.
.

Antigas amizades

‘Não é saudade, porque para mim a vida é dinâmica e nunca lamento o que se perdeu 
– mas é sem dúvida uma sensação muito clara de que a vida escorre talvez rápida demais
e, a cada momento, tudo se perde’.
Caio Fernando Abreu
.
.
E eu não sei explicar essa sensação. Não é saudade, não é mágoa, não é rancor e nem arrependimento. Lembro de tudo o que passamos, os planos e as promessas de que seríamos amigas pra sempre. Mas o pra sempre, parece sempre ter um ponto final. E sabe, não estou triste, continuo sem saber explicar. Posso falar de tudo o que passamos, sem nenhum pesar, é apenas nostálgico, não dói. Em algum momento aprendemos que as lembranças ficam e as pessoas vão. Não é todo mundo que permanece em nossas vidas até o fim.
.

Ciao Bella

“(…)senti um vislumbre de felicidade e, quando você sente um tênue potencial de felicidade depois de épocas tão sombrias, precisa agarrar essa felicidade com todas as suas forças, e não soltá-la até ela arrastar você para fora da lama – não se trata de egoísmo, mas de libertação. Você recebeu a vida; é seu dever (e também seu direito como ser humano) encontrar alguma coisa de belo nessa vida, por mais ínfima que seja (…) Ainda não sabia o que eu merecia. Talvez eu ainda não saiba totalmente o que mereço. Porém, o que sei é que, ultimamente, eu me recuperei – graças à alegria de prazeres inofensivos – e tornei-me alguém muito mais intacto”.  
Elizabeth Gilbert

.

.
E hoje eu realmente acredito que me amo de verdade. Descobri que não é nada absurdo pensar que a gente se ama, que nós somos bonitas, interessantes, atraentes, essas coisas, faz bem para a auto estima, faz bem para o amor por nós mesmas. Algo como um círculo vicioso. Quanto mais descobrimos nossas capacidades e belezas mais nos amamos e passamos a perceber que as coisas podem funcionar de uma maneira mais leve. Descobri nesse amor por mim mesma que sou capaz de coisas inimagináveis. Descobri que sou capaz de ser bastante determinada para manter meu próprio equilíbrio e meu bem, isso é uma maravilha, faz você acordar com uma cara boa, uma alma boa, uma pele boa e irradiar toda essa alegria a sua volta. Agora a única coisa pela qual eu torço e rezo todos os dias é que eu seja capaz de continuar me amando e que eu não caia na rotina comigo mesma, que eu seja capaz de despertar nos outros aquilo que despertei em mim mesma.
.

Besteiras

.
Lembra quando uma vez você me disse para não dirigir se estivesse nervosa? Jamais me esqueci disso. Eu tinha dito pra você que eu tinha me acalmado, mas era mentira e eu peguei o carro mesmo assim. Muita sorte não ter me acontecido nada, mas desde aquele dia passei a me preocupar com o meu humor ao dirigir e graças a você as pessoas podem andar mais tranquilas nos dias que estou mal e evito sair de casa. Obrigada por isso também, deve ter salvado a minha vida algumas vezes.
.

‘Ele não sabe que desde que não compartilhamos mais nada sobre nós, 
eu tive que me tornar minha melhor companhia:
 ele nem imagina que foi ele quem me ensinou esta alegria.’
Marla de Queiroz