Parte XIV

.

.

E ela só queria um pouco de paz, de sossego. Ella só queria um pouco de mimo e carinho. Ela parece um bebê que procura cafuné e colo no fim do dia. Talvez tudo isso fosse apenas reflexo do inverno. Talvez fosse o sentimento de saudades. Ou talvez fosse só a noite, que sempre traz ideias como essas a mente dela. Talvez fosse saudades do apartamento dele e das histórias que viveram. Talvez fossem só ideias. Talvez fosse influência da música que tocava na velha vitrola do seu quarto. É tudo isso junto e mais uma noite de inverno no quarto 301.
.
Anúncios

deita que o sono já vem

“Dorme menina, o sono também salva, ou adia.”
Caio Fernando Abreu
.

.

O abajur ainda estava ligado quando ela começou a dormir profundamente. Estava cansada e nada a impediria de dormir naquele exato momento. Dormiu deixando tudo por fazer. Dormiu pesado e sonhou muito, com tudo aquilo que ainda não havia realizado. Afinal, sonhos são situações que não esclarecemos, enfrentamos ou realizamos. Sonho é tudo aquilo que ainda está por vir, mesmo que pareça sem sentido, mesmo que seja apenas metaforicamente. Ela sonhou. Sonhou mundos melhores, amores correspondidos, planos realizados, sonhou felicidade. Sonhou com aquilo que ainda estava pendente pra ela. Pendente porque ela quis assim. As escolhas foram todas dela e, agora, depende dela realizar tudo aquilo que sonhou.
.

drama queen

.

.

Quero dormir. Quero acordar. Quero sentar, não, correr. Ler. Cantar. Olhar. Escutar. Gosto do que vejo no espelho. Quero ver o espelho em mil pedaços. Meu cabelo está lindo. Não aguento mais essa cor e corte. Essa roupa está sensacional, não, não tenho nenhuma roupa no armário e me sinto gorda. Estou magra demais, sobra espaço na calça. Vamos ver comédia. Drama. Ação. Não vamos ver nada. Vamos ficar quietinhos. Vamos sair gritando na rua. Não quero pisar o pé fora da cama. Vamos pra balada. Quero comer chocolate. Chocolate está me fazendo mal. Preciso ir pra academia. Ninguém merece academia. Salada. Churrasco. Não sei mais o que fazer. Defini minhas metas pra esse ano… Chega de tanto drama. Não quero mais reclamar. Fica aqui comigo e cuida de mim? Talvez esse drama todo só seja falta de atenção.
.

Desconexo

.

.

Quantas vezes alguma situação pela qual passamos interfere no que sentimos no futuro? Quantas vezes você desejou de coração que algo nunca tivesse acontecido? Quantas vezes a única coisa que você queria fazer era esquecer? Infelizmente, certas coisas não podem e nem devem ser esquecidas. Elas precisam acontecer para que nós continuemos aprendendo. Talvez, não seja a melhor maneira de aprender, nem a mais feliz, mas é um caminho válido para o amadurecimento. Podemos aprender com os erros dos outros e isso é ser sábio. Mas quando aprendemos com nossos próprios erros, transcendemos. É preciso muito crescimento interior e emocional para que nossos erros nos ensinem algo, nos transforme em alguém melhor. Você precisa ser forte o suficiente para aprender sozinho. Já nem sei porque estou escrevendo isso. Talvez seja apenas um brainstorming de um futuro texto com algum conteúdo verdadeiramente interessante.
.

sobre ser esponja

.

Parece um título um tanto quanto estranho, e eu sei que é. É estranho se sentir uma esponja. Absorvendo tudo o que te toca. Eu me sinto esponja, absorvendo situações difíceis e momentos tristes dos outros. Absorvendo e vivendo das alegrias dos outros. Eu sou uma esponja. E cheguei a essa conclusão faz pouco tempo. E a única coisa que eu consigo dizer a respeito disso é que é difícil ser esponja. Porque infelizmente, diferente de uma célula, as esponjas não possuem membrana. Não há seleção do que é bom ou não para uma esponja. Então vamos absorvendo tudo até não caber mais nada dentro de nós. Então, depois de cheias precisamos de alguém que nos faça chorar. Alguém que nos aperte, pressione, irrite, incomode ou atrapalhe a ponto de nos esvaziarmos novamente. E foi assim comigo ontem. E será assim daqui alguns dias. É um ciclo. Ficar cheio. Ficar vazio.
.
.
‘Trago lágrimas, sorrisos, histórias, abraços… trago momentos felizes, momentos de decepção. 
Carrego pessoas, amores e desamores, amigos e inimigos, desafetos, paixões… 
Não sou um livro aberto, mas também não tão fechado que você não consiga abrir, 
basta ter jeito, saber tocar as páginas, uma a uma, e descobrirá de que papel é feito cada uma delas.”
 
Caio Fernando Abreu

res.sen.tir

res.sen.tir
v. 1. Tr. dir. Tornar a sentir; sentir muito. 
2. Pron. Mostrar-se ressentido; magoar-se, melindrar-se, ofender-se. 
3. Pron. Advertir, dar fé. 
4. Pron. Sentir os efeitos ou conseqüências de.

.

.

Engraçado como uma palavra tem significados tão diferentes.
E pode definir tantas coisas e momentos pelo qual passo, e outros passam.
Tudo passa.
.