Procura-se

.

.
De uma página dos classificados:

Procura-se pequena peça frágil/forte, guardada a sete chaves, conduzida por mãos e braços, controlada por um sistema complexo. Tem cor vermelho pulsante. Sua velocidade varia entre 60 a 100 por minuto. Quem encontrar, por favor, entrar em contato urgente. Meu coração roubado já tem problemas demais, dos quais já conheço todos, um novo, na certa, sofreria rejeição. Logo, me deixe com meus antigos problemas, mais fácil de lidar. Obrigada.

Ela até que tentou, mas a nota ficou ali na gaveta, guardada, assim como um outro coração doado, do qual ela não soube cuidar.
.
Anúncios

Para os dias frios…

.
.
O dia havia amanhecido gelado naquela primeira manhã do inverno e ela mal conseguiu levantar da cama. A vontade que ela sentia era de passar o dia todo ali, mas ela sabia que isso não poderia durar o dia todo. Então, ela levantou, calçou as pantufas, colocou o roupão, soltou os cabelos e seguiu para a cozinha. Decidiu que por mais que o dia cooperasse para ser tedioso ela evitaria que isso acontecesse. Pegou 1L de leite e as barras de chocolate – meio amargo e ao leite – que tinha guardado da páscoa. Ferveu o leite em uma panela grande. Adicionou ao leite fervido uma colher de chá, bem cheia, de amido de milho. Depois veio a parte doce, adicionou as duas barras de chocolate e também uma pitada de baunilha, um pedaço de gengibre – que é para deixar o chocolate bem quente – e por fim um pouco de canela. Depois de bem quente escolheu a melhor caneca, derramou chocolate quente nela e decorou aquele líquido dos deuses com chantily. E com um pouquinho de dedicação aquele dia, que tinha tudo para ser um dia comum, tornou-se um dia incrivelmente doce.
.

Ponte

.
.
Nós não deveríamos ser ponte de ninguém. Com certeza você não quer ser ponte de ninguém. O que nós queremos ser é: o porto, a estação final, o lugar seguro, o lar para onde voltar. Pontes quebram, partem, balançam, apodrecem. Pontes precisam, constantemente, serem reconstruídas. Pontes ficam a mercê do tempo, dos viajantes. Pontes não duram muito. Mas os portos, as estações, os lugares seguros, esses que passam por manutenção constante, podem durar a vida toda. Quando sofrem abalos, logo vem alguém para colocar em ordem de novo. Enquanto as pontes, ah! as pontes… essas ficam esquecidas. Esquecidas até o momento em que alguém precisa voltar pra casa e vê que falta alguma coisa no caminho. 
Ninguém quer ser ponte, todo mundo quer ser casa.
.
Inspirado em uma conversa com o meu amigo querido, Tarcísio.

adj. 1. Que não contém nada ou só contém ar

“Às vezes não sentir é o único meio para sobreviver.”
A Vida Secreta das Abelhas
.

.

va.zi.o
adj. 1. Que não contém nada ou só contém ar. 
2. Despejado. 
3. Desabitado, vago, desocupado. 
4. Frívolo, fútil, vão, oco. 
S. m. O espaço vazio, o vácuo.
.
Depois de tantas coisas que ela precisou escutar. Depois de tantos sapos que ela teve que engolir. Depois de todas as lágrimas que ela teve que enxugar, sobrou um vazio. Um espaço oco e sem graça no peito. Sobrou um espaço desabitado, abandonado, esquecido. Com o tempo, ela foi se acostumando àquele lugar vago: primeiro as conversas, depois as cadeiras, por último, o coração. Ela aprendeu que às vezes não sentir é o melhor remédio. Quando você sente qualquer coisa por alguém, seja amor, amizade, ódio, isso tudo, de alguma forma, modifica quem você é. Então, Ella preferiu ser ela mesma, mesmo que isso a faça desistir de sentir certas coisas. Sobrando só aquele vazio. Você bem que poderia vir aqui ajudá-la a preencher a vaga que ficou ali. O que acha? Muito difícil? Eu sei. Ela vai continuar ali, fingindo que não sente o que sente. Ou pelo menos até perceber que sentir é o que traz vida, e que não sentir é apenas uma sobre-vida.
.

Carrossel

E eu me pergunto se viver não será uma espécie de ciranda de sentimentos
que se sucedem e se sucedem e deixam sempre sede no fim”.
Caio Fernando Abreu

.
Sentimentos vem para nos alegrar, nos fazer sorrir, às vezes entristecer ou quem sabe enlouquecer e até para nos fazer nos apaixonarmos. Às vezes sentimentos se esvaem. Às vezes vem para curar uma cicatriz. Cicatrizam. Às vezes tornam-se apenas lembranças. Emoções que foram e não são. Não são fáceis de se lidar. Sentimentos parecem ter um ritmo próprio. Eles chegam sorrateiros, vão tomando espaço, dão seus primeiros sinais, uns certos efeitos colaterais e então, quando começamos a notá-los, já estão instalados. Depois de tanto pensar a respeito, sentimentos nada tem a ver com a cabeça, é literalmente só coração. Você não pensa que alguém é seu amigo, você sente. Você não pensa que ama alguém, você ama. Você não pensa que está triste, você está. Sentimento tem a ver com estado de espírito, coração palpitando forte, melodia, lágrimas, risos, respiração, organismo, borboletas no estômago, mãos suando. Sentimento é aquilo que a gente não vê, mas sente. Tem algo mais difícil do que definir do que o que sentimos por alguém? Depois de muito pensar, agora, eu sei que não consigo caracterizar meus amigos conforme sentimentos – conforme um desafio lançado por um querido leitor deste blog. A única coisa que posso afirmar é que o sentimento que reina soberano entre eles é a amizade, e com ela vem todas as outras coisas: amor, carinho, compreensão, respeito, admiração, sensibilidade, coerência, calor, tristezas, sonhos, corações partidos, abraços, beijos, noites em claro, dias de sol, dias de chuva. Nada melhor do que uma ciranda de sentimentos, que gira e nos deixa tonto, zonzo, perdido, e que no final a gente não entende, apenas sente.
.