Você

.

.
E eu não tinha mais aquela necessidade obsessiva de saber tudo a seu respeito: onde você estava, com quem andava ou a que horas voltava pra casa. Talvez eu tenha aprendido a andar com minhas próprias pernas. Ou talvez, tenha aprendido a arte do desapego. Ou quem sabe ainda, isso tudo não passe de aceitação… comodismo.
De verdade? Não sei. Mas que bom que isso passou. Agora consigo ver tudo um pouco mais claro. Ainda te vejo através dessas minhas lentes naturais. Mas tudo é menos enevoado.
Eu acho.
.
Me.W.o

Anúncios

Desabafo

.

.

“Não, não, não.
Não adianta sorrir.
Nem fazer biquinho.
Muito menos me olhar com essa carinha.
Não vou mudar de ideia.
Sem chances de você escrever algo útil hoje, senhorita.”

Esse é o meu cérebro me dizendo que hoje não teremos nada criativo à acrescentar a este blog.

.
Me.W.o

Listas

.

.

De verdade, admiro quem consegue fazer listas e segui-las.
Sabe, ter uma meta e descrever os pontos que o ajudarão a alcançar ela.
Seguir uma lista é como ter objetivos na vida…
Certo, odeio listas!
Já imaginou?
Escrever diversos tópicos num papel e tentar cumpri-los até determinado dia?
Eu mal consigo cumprir os pontos da lista do supermercado.
Sempre acabo levando mais do que o necessário.
E esqueço aquilo que anotei no cantinho da folha, bem no final, porque só lembrei no finalzinho o quão importante era.
Pois é, adoro listas.

É tão bonito quando você consegue listar tudo o que mais gosta
e, quando sobra um tempinho, também lista as coisas das quais não gosta.
Tudo parece ficar tão simples.

Ok, odeio listas.
Você fica tão preso a determinados pontos que acaba não notando os atalhos, os desvios, os obstáculos e nem nota que chegou na linha de chegada.
Bom, mas que persistam as listas. 
A fim de, quem sabe, disciplinar o indisciplinável, assim como eu. 
Quem sabe um dia eu consiga seguir passo a passo aquela lista de dezenas de coisas que eu disse que faria esse ano ser diferente. 
.
Me.W.o

Parte VII

.

.
O silêncio aos poucos ia dominando o apartamento. O relógio corria e o sol, lá fora, parecia querer brincar de esconde-esconde. Não havia nada que os tirasse daquele transe que era ficar ali, olhando o nada, em silêncio, como se as respostas fossem aparecer diante dos olhos inertes. Mas eis que ela viu ali, na estante da sala do apartamento dele, um porta-retrato com aquela foto que os dois tiraram no verão do ano passado. Tinham resolvido passar um dia inteiro no parque. Ela lembra que ele queria transformar aquele dia num dia inesquecível. Fizeram piquenique, caminharam, conversaram, sonharam, contaram sonhos e desvendaram nuvens. Ele a carregou nas costas quando ela fez manha de se sentir cansada, os dois correram, brincaram, caíram, riram, se olharam, se aproximaram… E ele a chamou. Ficou preocupado com a distância dela. Mas ela, só estava revivendo aquilo que viveram, e que talvez não voltasse a ser o que era. Mas era incrível imaginar que tudo aquilo existiu, foi real. E que talvez, o que vier, seja melhor ainda.
.
Me.W.o

Crescer

.

.

Por mais que a gente cresça
e pense que pode dar conta da vida sozinho,
no fundo, sabemos que sozinhos não conseguimos muita coisa.
Por mais que a gente cresça
e pense que não existe mais nada no mundo que nos coloque medo
tem sempre alguma coisa que nos assusta e
deixa em nós aquela vontade de correr pro colo dos pais.
Por mais que a gente cresça
e pense que tudo sempre dará certo,
uma hora descobrimos que nem sempre dá certo,
é naquela hora que tudo ao redor parece querer desmoronar
assim como o castelo de cartas
que você montou com todo cuidado nas férias da quarta série.
Por mais que a gente cresça,
nunca crescemos o suficiente pra aguentar todos os males do mundo.
Pois sempre existirão medos que iremos temer,
sempre haverão perguntas que não saberemos responder,
e também existirão obstáculos que não conseguiremos transpor.
E além disso tudo,
por mais que a gente cresça,
parece que sempre falta alguma coisa,
por exemplo, aquele cantinho na casa dos pais,
que nos abrigava depois de uma briga,
de uma nota baixa na escola.
dum amor não correspondido.
Por mais que a gente cresça
continuamos crianças que precisam daquele abrigo
que nos traz de novo um pouco de paz.
.
Me.W.o

Querer

.
Eu queria falar sobre a noite e como ela está bonita, como ela costuma me inspirar. Queria falar sobre o que eu penso do dia que tive, da vida que levo. Queria falar das conversas, dos planos, das coisas que ouvi, do que deixei de fazer, das escolhas que fiz. Mas no momento, só consigo pensar em uma coisa: adormecer profundamente e sonhar. Talvez assim pensar em algo realmente útil para compartilhar com vocês. Ou pelo menos algo um pouco mais relevante do que os meus devaneios tolos. Será que você ainda me escuta depois de tanta besteira que eu ando dizendo nesse post? É, acho que já está na hora de ir dormir. Afinal, são três noites seguidas de sonhos que não tive. Então, boa noite e durma bem, meu bem.
.
Me.W.o